21 JANEIRO 2021
18:24:00
INFORMATIVO - MATÉRIAS
09-01-2021 - SECESSÃO SERÁ A SOLUÇÃO PARA O TERRITÓRIO NORTE-AMERICANO, HOJE UMA TERRA DE NINGUÉM

09-01-2021   -   SECESSÃO SERÁ A SOLUÇÃO PARA O TERRITÓRIO NORTE-AMERICANO, HOJE UMA TERRA DE NINGUÉM

 

 

          Aos poucos foi se evidenciando que a invasão do Congresso dos EUA foi uma armação da máfia democrata, com infiltrados. Para se usar isso contra Donald Trump, acusando-o de incitação. E daí os canalhas das "Big Techs" censuraram Trump em todas as redes. A vagabunda Nancy Pelosi quer o "impeachment" já de Trump e ainda quer impedir que ele tenha acesso a armas nucleares, como se fosse um louco. Querem Trump na cadeia.

 

          Invasão por invasão, era para invadir mesmo, tocar o terror. Em terra de ninguém nada mais deve ser respeitado. O certo seria explodir tudo, com todos dentro, naquela merda de Capitólio, um puteiro.

 

          Se fosse o inverso, invasores democratas da gema tocando o terror contra uma legítima vitória de Trump, os canalhas da mídia estariam festejando, endeusando, incitando, insuflando, enchendo a bola, como se fosse uma merda de turba do MST invadindo o Congresso brasileiro (como foi em 2006) para prostestar contra Bolsonaro. Esta é a história. O festival de choradeira, de escandalização, de ojeriza e repúdio à invasão-fake é só para criar espuma e usar isso como meio para incriminar Trump.

 

          As "Big Techs" são empresas privadas. E como tais têm o direito de agir como bem entenderem, dentro dos subjetivos termos de uso das merdas de plataformas. O ponto é que, ao agirem de forma abusivamente tendenciosa, deturpada, mentirosa e sensacionalista, deram prova de associação criminosa com os fraudadores da eleição. Está todo mundo junto, numa grande organização criminosa. O lugar dessa gente toda é na cadeia. E para começar, acusação de cartel e monopólio. De outro lado, os canalhas das "big techs", mesmo que fossem santinhos, seriam com o tempo coagidos pelo sistema a colaborar. Ou colaboram com a auto-censura ou o governo ditatorial imporá a censura, destruindo os negócios deles. No fim, ao se renderem ao sistema, agindo de forma criminosa e canalha, destruíram seus próprios negócios, ao traírem a pátria e ajudarem a destruir a nação. O final desses canalhas será o mesmo do dono do Alibabá, um sumiço. Quando não forem mais necessários.

 

          A vagabunda quer impedir Trump de ter acesso a armas nucleares. E isso é exposto a céu aberto. Suponha-se que de fato isso estivesse em vias de se concretizar. Bastaria, neste instante, outro país fazer um ataque nuclear contra os EUA, que seriam destruídos, pois o presidente não poderia reagir em face de um impasse no Congresso, capitaneado pela vagabunda. Veja-se a que ponto chega a inconseqüência, a canalhice, a PuTaria desses canalhas todos do Congresso dos EUA. São vermes.

 

          Forma-se, desde já, um ambiente chinês de censura midiática, auto-censura imposta nas "Big Techs" e na mídia corrupta. Mas, como sempre, quando se tem idiotas lidando com canalhas psicopatas do mais abjeto jaez, os idiotas acabam se ferrando em algum momento. Isso vai acontecer logo mais, na próxima etapa do ataque terrorista. Teremos um tiro pela culatra. Mas quem vai se foder são os idiotas das "big techs". Vão ver o que é bom para tosse ao se unirem a psicopatas comunistas vigaristas da China e do Partido Democrata.

 

        Como dissemos, o "Efeito Biden" seria brutal. E está sendo: censuraram Trump, querem tirá-lo do cargo já, querem impedir que ele use armas nucleares e ainda querem ele na cadeia. Tudo a toque de caixa e armado desde antes da votação do dia 6. E a invasão teve por objetivo impedir o televisionamento da exposição da fraude, forçando o Congresso a votar de madrugada, na calada da noite, a toque de caixa, a certificação do resultado fraudulento. E teve fraude mesmo. Os filhos da puta das "big techs" que tomem nos cus deles. Filhos da puta.

 

          O "Efeito Biden" no Brasil já está sendo avassalador. Bolsonaro já está até sendo chamado de louco pelos baitolas chupadores de saco do cara da calça apertada na imprensa falida, corrputa, podre, fétida e imbecil. Bolsonaro e Trump não são santos, não são perfeitos, mas não são o que os canalhas dizem que eles são.

 

          Ao contrário do que disse Olavo, o PODER efetivo está nos cargos. São 11 filhos da puta no STF e 81 filhos da puta no Senado. São apenas 92 canalhas no comando de uma ditadura civil, que impõe um cabresto em 210 milhões de pessoas. No tabuleiro o rei só anda de casa em casa, é o presidente, com seu poder limitado. Os congressitas são a rainha, com poder total. E os bandidos do STF são os cavalos, as torres e os bispos, arregaçam com tudo. Segundo as regras constitucionais, estes são os poderes de cada um dos três Poderes, Executivo, Legislativo e Judiciário. Mas como se não bastasse isso, os canalhas do STF agora legislam e executam também, em total abuso. Cargo é poder sim, como provam o Senado e o STF. Apenas 92 canalhas mandam no Brasil. Noventa e dois filhos da puta. A questão é como esses 92 canalhas chegaram ao topo. Chegaram a partir da ignorância de uma sociedade morta. Não são fortes e nem grande coisa, apenas ocuparam um espaço vazio, os camorotes de uma terra de ninguém africana.

 

          E quando não está no cargo o poder está nas armas. Com a morte da internet, o que acontecerá é a volta à moda antiga. A Revolução Francesa de 1789 aconteceu sem que houvesse telefone, rádio, televisão, celular, internet. Mataram o Rei na guilhotina, com as próprias mãos. Mais tarde surgiram grupos terroristas guerrilheiros, como FARC e ELN (na Colômbia), IRA (na Irlanda do Norte), ETA (na Espanha), Hezzbollah na Palestina, ISIS no Iraque, Talibãs no Afeganistão, entre outros. Quando estas organizações surgiram não havia internet. Com o mundo voltando agora à Idade da Pedra, será natural o ressurgimento de organizações deste tipo, o único meio que restará para que nações se livrem do jugo globalista ditatorial mundial.

 

          No caso do território antes ocupado pelos Estados Unidos da América, a solução agora é a secessão (como na guerra de 1861 a 1865). Nos Estados onde houver políticos republicanos realmente patriotas que não sejam traidores poderá ser declarada a independência. Restará a questão dos arsenais militares, o que pode levar a uma guerra civil. A solução para este impasse pode ser primeiro a reunião política dos estados separatistas, para formar um bloco unido contra a parte podre do país, em vez de cada Estado interessado declarar-se independente de forma unilateral. Desta forma, a confederação pode ser desmanchada de forma amigável.

 

          A vantagem da guerra civil, se houver, poderá ser a libertação da dívida pública federal e do dólar, criando-se outra moeda e partindo-se para uma confederação nova em folha, com dívida zero, deixando o abacaxi do dólar e da dívida para a merda dos Estados democratas perdedores.

 

          O teatrinho da invasão com infiltrados para gerar acusação de incitação e a censura a toque de caixa das "big techs" e mais a histeria de políticos vagabundos que querem Trump fora já acabaram por deixar ainda mais patente a fraude, agora ricamente recheada de mais elementos e com mais atores participantes, todos confessos. O lugar dessa gente toda é na cadeia. Com prisão perpétua ou pena de morte.

 

_______________________

 

          Queriam tanto uma ditadura global, conseguiram. Mas agora teremos também um POVO GLOBAL. O povo do mundo inteiro tem de se unir num gigantesco Occupy Wall Street como o de 2008, exigindo o fim de todas as ditaduras no mundo inteiro, incluindo a da China, em solidariedade mútua. Este pode ser o grande efeito colateral do atual caos: a formação de um POVO GLOBAL solidário, unido, sem fronteiras, todos unidos contra todos os vagabundos do mundo inteiro, uma pandemia de lutas pela liberdade, pelo fim da censura, contra as ditaduras de todos os países. Ao final, todos se dariam as mãos, em liberdade, cessando as guerras entre países.

 

____________________________

 

          A concessão de canais de rádio e televisão que existe desde o século passado teve e tem por objetivo justamente evitar que algum líder ocupe a televisão e exponha a realidade, fazendo ruir o circo das monarquias absolutistas disfarçadas de República com o comando de oligarcas, seja os da gema da extrema direita fascista (Aécio, Sarney, Collor, Renan, Dória, Alckmin, Eduardo Cunha, etc.), seja os impostores comunistas vigaristas (Lula, Dirceu, REDE, PSOL, PC do B, etc.).

 

        Rádio e TV só podem ser concedidas a seres anódinos, com a promessa de que tudo seguirá em ritmo de loucura, loucura, loucura, sem altercações lúcidas a respeito de liberdade e igualdade. A internet colocou um fim nisso. Agora colocaram um fim na internet. Como ocorreu nas duas grandes guerras, isso será a causa de novas e alucinantes invenções, que trarão uma nova revolução digital. Assim como a revolução digital escangalhou com a logística do mundo real, criando agora o Mundistão chinês, uma nova revolução digital pode escangalhar a própria internet, que para todos os efeitos é em termos de protocolos, "softwares" e linguagens ainda um Fusca pé de boi dos anos sessenta. Só há uma rede e a "deep web", só há três ou quatro sistemas operacionais principais, só há alguns buscadores e assim por diante. Falta uma revolução nesta parte também. E é como tudo no mundo digital. O Zukerberg de hoje será o Zé Ruela de amanhã quando o Orkut acabar. Ou o Jack Ma, quando logo mais quiser dar um pio para falar de algum inconformismo sobre lucros decrescentes.

 

          A grande característica da globalização é o paradoxo permanente. Nada que ocorre ou é feito é só bom ou só ruim, tem uma parte boa e uma parte ruim, ambas ocorrendo ao mesmo tempo. A pancada atual, que será seguida de uma miséria descomunal repentina e permanente, é o leitmotiv da próxima revolução. Nesta, os que estão deletando via "software" acabarão tendo seus "hardwares" e suas vidas deletadas. Como e quando isso se dará são duas variáveis que conjuntamente consideradas são inimagináveis por ora em termos de data. Seguindo o curso natural da história, teremos muito sangue derramado, a única linguagem entendida pelos canalhas que insistem em esticar a corda, para ver até quando ela não arrebenta. Seja como for, a corda já está arrebentada e o momento mais propício para uma revolução pacífica seguindo as oportunidades das leis dos Estados nacionais via eleições já passou, foi desperdiçada ao se eleger vermes para o Legislativo. Agora, como sempre na História, sangue terá de ser derramado para deter a sanha infinita de poder de verdadeiros psicopatas. Sendo uma confederação e com um povo 100% armado, no território antes ocupado pelos EUA, a nação norte-americana está em melhor condição de escapar da desgraça. Não há o que esperar, a solução tem de se dar já. Cada dia de espera tornará as coisas mais difíceis. A secessão tem de se dar ainda antes da posse de Biden, pondo-se fim à esculhambação total logo de uma vez, evitando-se a progressiva desmoralização e anestesia, como ocorreu em países como Argentina, Brasil, Venezuela, França, entre outros, casos hoje perdidos. No Brasil, por exemplo, mais de 97% da sociedade está morta, não há mais salvação. Norte-americanos: não deixem que a situação se degrade ao nível que chegou o Brasil, tomem alguma providência antes que nada mais seja possível ser feito.

Nova pagina 1
     Globalizalização.Net
   
 
A Globalização e os Trinta Anos de Indexação no Brasil

E-Mail:
contato@globalizacao.net    
 
Copyright ©2021 Globalizacao.Net. Todos direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Globalizacao.Net! Desenvolvimento: WDSistemas Internet Solution.